A Criança Agressiva

As primeiras condutas consideradas, realmente, como agressivas aparecem entre o 2º e 3° ano de vida quando a criança se sente frustrada por não ver cumpridos seus desejos, então, ela arranha, morde, pega bruscamente, dá tapas... Antes desta idade, a criança demonstra a raiva com birras, choro e gritos.

É a partir dos 4 anos, que esta agressividade passa a ser expressada verbalmente.Isto ocorre no desenvolvimento normal de toda criança. O que ocorre é que alguns continuam mostrando-se excessivamente agressivos e isto se converte em uma conduta problemática.

O grau de agressividade, a idade de aparição, bem como sua permanência no tempo irá determinar a necessidade ou não da intervenção de um psicólogo infantil que perceba o problema em sua globalidade.

Geralmente, este comportamento demonstra uma baixa autoestima, um ser que luta por autoafirmar-se e/ou expressa um excesso de tensão ou angustia que não encontra outra via de escape. Para uns, a agressão é uma forma de dominar o grupo e para outros é imitar o que é visto ou vivido em casa.

Para conseguir mudar este comportamento, teremos de ir diretamente sobre as causas que o originaram, além de educar a criança no controle de si mesma.

Quando falamos de agressividade nos referimos tanto à agressividade física como à verbal, tanto a autoagressividade como à agressividade contra os demais. Tanto o comportamento autodestrutivo como o de agressividade contra o outro podem chegar a resultados muito perigosos, daí, que não devemos ignora-los, nem podemos esperar que se resolvam por si só.

AGRESSIVIDADE CONTRA O OUTRO:

Quando uma criança demonstra uma conduta agressiva contra os demais, devemos separa-la do grupo, provocando nela uma reflexão, sem danar nem culpa-la, permitindo-lhe que continue seu trabalho ou brincadeira sozinha até que decida voltar a integrar-se ao grupo com outra atitude, mais adequada.

Encontramos neste grupo também as crianças que:

  • Brincam continuamente com fogo
  • Maltratam os animais .

São casos que requerem uma intervenção urgente pois estão pondo em perigo suas própria vidas e a dos outros.

AUTOAGRESSIVIDADE (Suicídio, Autolesões,...)

O suicídio é algo pouco freqüente em crianças menores de 10 anos; ocorre mais na adolescência.

Sinais preocupantes são:

  • Ela mostra-se "especialmente triste"
  • Perde o interesse pelas coisas que lhe rodeiam
  • Perde o apetite
  • Alterações do sono (em excesso ou insônia)
  • Fala coisas negativas sobre si mesma
  • .....

Estes dados devem alertar-nos, e demonstram ser necessário buscar as causas (conversando com a própria criança).

A maioria dos casos requer um trabalho mais profundo por parte de um especialista infantil e intervenção rápida de um tratamento.



Voltar